sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Detran do Rio Grande do Sul registra aumento na suspensão de CNHs



Olá!

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Rio Grande do Sul registrou neste ano um aumento de 25% em relação ao ano passado na cassação ou suspensão de CNH na cidade de Canoas. Em 2014, 1.391 documentos foram recolhidos por infração ou excesso de pontos. Em setembro de 2015 o número já havia alcançado 1.109.

De acordo com dados do Detran, a frota do município é de 184 mil veículos, apenas 0,6% dos quais estão envolvidos com infrações. O número total de motoristas é de 31.622, 3,5% dos quais tiveram problemas com a lei de trânsito. O departamento oferece a possibilidade de recorrer de multas e os processos de cassação ou suspensão da carteira.

O diretor geral do Detran/RS, Anderson Barcellos, aponta dois motivos para o aumento nesses índices: o recente aumento na fiscalização e o maior rigor das punições aplicadas. Segundo ele, o aumento no número de municípios que passaram a ter secretarias de trânsito e a existência de programas como o Viagem Segura e o Balada Segura contribuíram para essa ascensão nos registros de infrações, o que levou ao aumento nas cassações e suspensões de CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Rosimeri Souza, que além de ser diretora do Centro de Formação de Condutores também atua como professora de aulas teóricas e práticas de condução há 5 anos, relata que é frequente condutores buscarem reciclagem. Segundo a diretora, muitos motoristas se arrependem de seu comportamento no trânsito após o período de reciclagem.

O desbloqueio por suspensão tem o custo de R$576,97 para ser feito. A cassação da carteira tem como consequência uma multa de R$576,97 e dois sem que o motorista possa tê-la com ele. É possível que haja uma suspensão de até um ano por motivos como dirigir alcoolizado, somar 20 pontos na carteira e ultrapassar limites de velocidade. Um motorista sem licença que decide dirigir mesmo assim pode ter a CNH cassada e ter que repetir todos os exames necessários após dois anos.


Fernando

 

Nenhum comentário :

Postar um comentário